11 dicas sobre arco e flecha que todo autor deveria saber

Arqueiros sempre ocuparam um lugar especial em nossos corações. O estereótipo é um dos mais famosos na fantasia medieval, perdendo talvez apenas para o cavaleiro de espada e o mago. Não é preciso nem pensar muito para lembrar um bom número de arqueiros presentes na cultura pop, muitos vivendo nos dias de hoje seus anos dourados de fama: Legolas, Merida, Katniss Everdeen, Robin Hood, Hawkeye…

Essa fascinação ocorre porque o arco e flecha possui um apelo dramático único quando inserido na narrativa. Ao contrário do combate corpo a corpo, vigoroso e imediato, o momento da flechada exige calma e concentração. Então, enquanto a adrenalina da espada é explosão física, ação, a adrenalina do arqueiro é contida, fria e calculada. Cenas de arco e flecha dão aquele frio na barriga, aquele silêncio sepulcral onde o tempo parece ficar suspenso. Quem nunca vibrou com uma descrição de meia página sobre o momento em que o herói estica a corda do arco, se concentra e faz a mira, enquanto prendemos a respiração junto a ele num instante recheado de tensão?

Ao mesmo tempo, o arco e flecha pode se tornar bastante dinâmico quando combinado à outras atividades, trazendo mais possibilidades para o personagem. Flechas podem ser utilizadas para caçar, içar cordas, apoiar escaladas, vencer torneios de tiro ao alvo. Em batalha, serve para criar ótimas estratégias de cerco.

Fonte: archery360.com - Reprodução

Fonte: archery360.com – Reprodução

(Se você for um Legolas da vida, serve também para trucidar olifantes…)

Além disso, existe uma certa aura mágica em ver um arqueiro fabricando artesanalmente suas próprias flechas. Toda a filosofia e paciência por trás da técnica, a escolha dos materiais e a busca da perfeição podem render bons insights para o personagem. Deve ser por isso que o arco e flecha é uma das opções mais comuns dos autores que escrevem ficção fantástica/medieval.

Porém, o manejo da arma deve ser descrito com cuidado. O arqueirismo é uma técnica milenar (existem indícios de sua utilização inclusive na pré-história) e alguns pontos precisam ser levados em consideração para garantir o realismo e credibilidade da história.

Kaitlin Hillerich é dona do blog Ink and Quills (um dos meus favoritos), onde dá dicas para escritores iniciantes, principalmente sobre romances young adult e ficção histórica. Kaitlin vem praticando arqueirismo há anos, e, pensando nos autores que desejam incluir arqueiros em seus livros, criou uma ótima matéria sobre tudo o que um escritor precisa saber sobre o manejo do arco (você pode ler o original, em inglês, clicando aqui).

A seguir, o TBS apresenta os 11 pontos levantados por Kaitlin para trazer mais veracidade à escrita:

1 – Você não consegue segurar um arco em tração máxima por muito tempo

Os arcos modernos são compostos por um sistema de polias e engrenagens que suportam o peso da tração do arco. No entanto, se sua história fala sobre arqueiros medievais, é importante lembrar que, durante a tração máxima da corda, o personagem precisará sustentar um peso de até 120 libras (uns 54 kg). Não demora muito para que o braço canse e comece a tremer, o que é péssimo para a mira. Assim, um bom arqueiro permanecerá o mínimo de tempo possível com a corda esticada, a não ser que esteja realmente preparado para soltar a flecha. Evite diálogos e longas cenas com o personagem esticando o arco com força máxima.

Fonte: Tumblr - Reprodução

Fonte: Tumblr – Reprodução

2 – Arco e flecha exige prática e força

É importante considerar a idade, tamanho e força do seu personagem. Que tipo de arco ele está usando? Um arqueiro muito novo provavelmente será incapaz de utilizar um arco de guerra cuja tração ultrapassa os 50 kg. Talvez um arco leve de caçada seja mais adequado.

Além disso, a utilização do arco e flecha com maestria demanda anos e anos de prática. Tome cuidado para não tornar seu personagem um exímio atirador da noite para o dia.

3 – Cuidado para não “disparar” flechas

Essa dica faz mais sentido para quem escreve em inglês. Muitas vezes, nos livros, generais utilizam a expressão “Fire!” para sincronizar a ação dos arqueiros. No entanto, essa nomenclatura é bem moderna, referindo-se apenas às armas de fogo. A expressão correta é soltar ou liberar a flecha, embora isso não faça tanta diferença para o português (utilizamos mais “atirar”). Para comandar arqueiros, um general deveria dizer “Nock, draw, loose!”, algo como “Preparar, puxar/mirar, soltar!”.

4 –  Atirar flechas cansa

Especialmente se você está atirando uma flecha atrás da outra, sem descanso. Claro que isso depende do nível de maestria do seu personagem. Arqueiros experientes e fortes podem atirar sem tanto desgaste físico. No entanto, se for preciso puxar o arco por mais vezes ou com mais força do que o normal, o personagem logo ficará cansado e começará a suar.

Além disso, a utilização de arcos pesados continuamente machuca os dedos. Se não existe uma luva de proteção, podemos esperar bolhas, calos e até um pouquinho de sangue.

Fonte: Tumblr - Reprodução

Fonte: Tumblr – Reprodução

5 – Arcos não rangem

Quando você está puxando a corda de um arco, o movimento é silencioso. O rangido que estamos acostumados a ver no cinema foi uma invenção de Hollywood.

6 – E flechas não assoviam

Outro efeito especial criado pelo cinema… Kaitlin ilustra essa diferença mostrando os sons presentes numa cena de Jogos Vorazes e numa demonstração real do uso de um English Longbow.

Fonte: vixenvarsity.com - Reprodução

Fonte: vixenvarsity.com – Reprodução

7 – Proteção de braço é importante

Proteções de braço (“bracers” ou “arm guards”) são peças de couro utilizadas no antebraço da mão que segura o arco. Elas são necessárias porque quando você solta a flecha, a corda pode voltar e atingir sua pele.

E isso machuca. Quanto maior a tração da corda, pior o impacto no braço. Isso também varia de acordo com o arco. Se seu personagem utiliza arcos pesados e consegue puxar bastante, coloque uma proteção de braço nele…

8 – Arcos tradicionais permanecem desamarrados até que sejam utilizados

Com a chegada dos modernos arcos de competição, escritores e cineastas pareceram esquecer esse detalhe. Arcos medievais permaneciam sem a corda enquanto não estavam sendo utilizados, para preservar a peça. Além disso, arqueiros experientes sempre carregam uma corda extra consigo, para o caso da corda principal arrebentar (sim, isso acontece!).

9 – Você não consegue carregar tantas flechas na aljava

A não ser que seu personagem possua uma aljava mágica de suprimento inesgotável, é bom ter em mente a quantidade máxima de flechas que podem ser carregadas. A média é de 25 flechas para aljavas grandes e 12 para as menores.

Por isso, é normal que em um certo ponto, a munição acabe. O que fazer quando a aljava ficar vazia? O personagem pode coletar flechas caídas, comprar/fabricar flechas novas ou recorrer a outra arma. Por isso a maioria dos arqueiros tem prática no manejo de outros armamentos, como adagas ou espadas leves.

Detalhe de uma aljava Fonte: kingdomcomerpg.com - Reprodução

Detalhe de uma aljava Fonte: kingdomcomerpg.com – Reprodução

10 – Tipos de arco e estilos de atirar variam entre diferentes culturas

É preciso considerar as origens do personagem antes de lhe dar um arco. Arcos mongóis, por exemplo, são muito diferentes dos arcos ingleses. A forma de puxar a corda também varia de região para região. Entre os ocidentais, o mais comum é segurar a flecha com um dedo por cima e dois embaixo, enquanto orientais seguram de forma mais “pinçada” (veja a ilustração abaixo). Além disso, arqueiros orientais utilizam anéis protetores para os dedos, enquanto os ocidentais escolheriam luvas.

Fonte: comicvine.com - Reprodução

Fonte: comicvine.com – Reprodução

Ornamentos e materiais utilizados na construção do arco e das flechas também variam. Faça uma boa pesquisa para adequar o personagem à cultura em que está inserido.

11 – O personagem é destro ou canhoto?

Pessoas destras atiram com a mão direita, ou seja, puxam a flecha com a mão direita e utilizam a esquerda para segurar o arco. O contrário no caso dos canhotos.

Além disso, arqueiros destros posicionam a flecha do lado esquerdo do arco, enquanto canhotos a posicionam do lado direito. Muito cuidado com suas esquerdas e direitas para manter a consistência!

 

No artigo escrito por Kaitlin você também pode encontrar vídeos e links úteis para entender com mais profundidade sobre o esporte e as técnicas de arco e flecha.

(Este texto é uma adaptação de livre tradução.)

Quando Austen encontra Aidan
Aviso: Concurso Brasil em Prosa

Comentários:

Loading Facebook Comments ...