7 livros que valem por uma aula

E de repente começa aquela chuvinha, a rinite resolve apertar, sua cama só falta falar “vem cá meu amor”, o despertador não estava programado para a hora certa e você descobre que já está meia hora atrasado. É, nem sempre é fácil sair de casa pra assistir uma aula, seja do colégio, graduação, mestrado, doutorado ou cursinho de culinária.

Nessas horas, nada melhor do que iniciar uma boa leitura pra o tempo (ou a chuva) passar. Mas se você é daquelas pessoas que sofre de consciência pesada crônica por ter faltado, que tal aliviar um pouco a sua barra escolhendo um livro que te ensine tanto quanto ou mais ainda? E não estou falando de ler livros sobre a sua área de atuação nem livros didáticos. A melhor parte sobre essa lista é que ela é composta por aquele tipo de livro onde você absorve conhecimento sem nem perceber: ele vem implícito dentro de ótimas narrativas, escondido em histórias e personagens.

Claro que todo livro lido representa um ganho de informação, mas falarei especificamente sobre aqueles que podem, quem sabe, te salvar na hora de uma prova ou pelo menos numa discussão de mesa de bar. Afofe os travesseiros e veja a lista a seguir:

Capa - Reprodução

Capa – Reprodução

1 – Alex e Eu (Irene Pepperberg)

Neste livro, a Dra Irene Pepperberg descreve os mais de 30 anos que passou como pesquisadora ao lado do papagaio africano Alex, capaz de reconhecer mais de cem palavras e compreender conceitos matemáticos abstratos.

O que você aprende: É um livro sensacional para entender os avanços científicos na interpretação do comportamento animal. Existem relatos sobre alguns experimentos realizados e é possível acompanhar todo o trabalho de treinamento dos papagaios. A pesquisa da Dra Pepperberg revolucionou o mundo acadêmico ao colocar a inteligência dos animais em um novo patamar.

Porque você nem percebe que aprendeu: O livro segue uma narrativa biográfica, cheia de emoção, que faz você se apaixonar instantaneamente pelo Alex, dono de uma personalidade única. Basta dizer que ele tinha seu próprio assento ao andar de avião. Mas o melhor, na minha opinião, é que boa parte das informações que comprovam a assustadora capacidade de raciocínio de Alex é mostrada ao leitor através de fatos engraçados de seu cotidiano, sem aquela roupagem de dados científicos. Toda a ciência, que não é pouca, encontrada em Alex e Eu é envolvida pelo terno carinho de uma dona e seu admirável bichinho de estimação.

Capa - Reprodução

Capa – Reprodução

2 – O Universo Numa Casca de Noz (Stephen Hawking)

Todas as bases da Física teórica explicadas para leigos.

O que você aprende: O livro é um “tour completo” por todas as suposições e experimentos realizados pela Física teórica, com um monte de informações históricas sobre a vida de cientistas famosos, como Einstein e o próprio Stephen. As ilustrações são incríveis e ajudam a entender alguns dos cálculos matemáticos. Confesso que é a leitura mais densa dessa lista, principalmente para quem não é familiarizado com o conceito da relatividade. Mas caso você não consiga absorver 20% dos conhecimentos apresentados, os 80% restantes serão inspiradores, já que Stephen também discorre sobre as possibilidades e desafios éticos que surgiriam caso os seres humanos conseguissem manipular o tempo.

Porque você nem percebe que aprendeu: Hawking é Hawking, né? Sempre puxarei sardinha pra ele. O humor sombrio que ele usa, sua paixão pelo assunto e a facilidade com que simplifica conceitos matemáticos dificílimos bem diante dos nosso olhos. Hawking consegue fazer com que você se sinta apenas uma pequena partícula, vagando sem rumo dentro de um Universo de propósitos bem maiores. Como não amar?

Capa - Reprodução

Capa – Reprodução

3 – Ayla, A Filha das Cavernas (Jean M. Auel)

Ayla, uma órfã Cro-Magnon, é adotada por um grupo de Neanderthais durante o último período glacial. Tentando se adaptar a seus modos e costumes, Ayla luta contra a constante sensação de ser diferente e sua vontade de conhecer e criar novas experiências. Este é o primeiro livro da coleção Os Filhos da Terra.

O que você aprende: Esse é um dos meus livros favoritos de todos os tempos, sério. A pesquisa realizada por essa autora para escrever a obra deveria merecer um prêmio. Se você quer realmente aprender sobre a tecnologia e cultura dos povos pré-históricos, leia Jean M. Auel. As descrições dos costumes, da alimentação, da fauna, flora e geografia dos lugares por onde Ayla passa são riquíssimas. Além disso, ainda é possível aprender bastante sobre Sociologia, uma vez que são inseridos temas como patriarcalismo x matriarcalismo, preconceito racial, embates religiosos e emancipação feminina. Acho que esse livro merecia um post só pra ele.

Porque você nem percebe que aprendeu: Os personagens são ótimos, carismáticos. A maior parte das informações vai sendo apresentada enquanto a própria protagonista as vivencia no romance, se tornando parte necessária do desenvolvimento do enredo. Daqui a pouco você vai estar por aí querendo comer com as mãos…

Capa - Reprodução

Capa – Reprodução

4 – Inferno (Dan Brown)

No quarto volume da série, o professor e simbologista Robert Langdom se envolve numa trama entre a obra O Inferno de Dante, um terrorista e uma misteriosa arma biológica, ao mesmo tempo em que tenta recuperar sua memória.

O que você aprende: Eu sei, eu sei que Dan Brown é polêmico e que muita gente o acusa de ser um charlatão que empilha conhecimentos diferentes sob a mesma narrativa. Quase o Paulo Coelho dos EUA. Mas eu sabia muito pouco sobre a história e obra de Dante Alighieri, e acredito que poucas pessoas tenham realmente lido A Divina Comédia em sua versão original. Por isso, Dan Brown acaba criando uma introdução bacana para o clássico, que ajuda a entender o simbolismo e as alegorias utilizadas por Dante.

Porque você nem percebe que aprendeu: Dan Brown sempre escreve cenas cheias de ação e diálogos simples, porém bem explicados. Você entende com muita facilidade a linha de raciocínio, e fica louco para saber qual seria a próxima pista. Algumas partes de adrenalina do livro são beeem irreais, mas é quase como assistir um daqueles filmes policiais americanos…

Capa - Reprodução

Capa – Reprodução

5 – O Polegar do Violinista (Sam Kean)

A história da genética contada capítulo a capítulo pelo renomado jornalista do The New York Times.

O que você aprende: Tudo sobre a genética, claro. Desde as primeiras experiências com ervilhas de Mendel, passando por expedições no Ártico e bombas nucleares até os avanços científicos mais recentes.

Porque você nem percebe que aprendeu: Kean utiliza uma narrativa apaixonante, de quem realmente ama o assunto, para explicar todos os mecanismos e fenômenos do DNA, de uma forma simples e acessível. Seu bom humor e a inclusão de algumas curiosidades inusitadas nas explicações (como o caso dos acumuladores de gatos) torna o aprendizado leve, leve…

Capa - Reprodução

Capa – Reprodução

6 – O Último Reino (Bernard Cornwell)

Primeiro livro das Crônicas Saxônicas, que fala sobre a invasão dinamarquesa à região Britânica. A história é contada sob o ponto de vista de Uhtred Uhtredson, originário do reino da Nortúmbria.

O que você aprende: Cornwell é um autor conhecido pelo nível de realismo com que descreve seus cenários. O livro é excelente para quem deseja entender a mitologia nórdica e suas lendas, os costumes do povo anglo-saxão e as configurações políticas no início da Era Viking. Uma verdadeira aula de História, com personagens fictícios convivendo com pessoas reais, saídas dos livros da escola. Existem também muitos questionamentos entre o posicionamento religioso de cristãos e pagãos.

Porque você nem percebe que aprendeu: Uhtred é um personagem engraçado e espirituoso, levando o enredo num ritmo bem natural. Com as famosas cenas de batalha épicas de Cornwell (considerado um dos melhores no gênero), é fácil se deixar entreter pela leitura.

Capa - Reprodução

Capa – Reprodução

7 – As Formigas (Bernard Werber)

O livro segue duas narrativas distintas, que convergem à medida em que a história progride. De um lado acompanhamos a história de três formigas investigando uma estranha conspiração que ameaça seu formigueiro. Do outro, uma família que se vê cada vez mais envolvida com o misterioso porão da casa que receberam como herança. A maneira como a história desses personagens acaba por se interligar é fascinante, prendendo o leitor do início ao fim. Este é o primeiro livro da trilogia O Império das Formigas.

O que você aprende: Além de descobrir um monte de curiosidades sobre as formigas, sua fisiologia, alimentação e o funcionamento de uma colônia como um todo, Werber também utiliza a comunidade dos insetos para fazer críticas e comparações inteligentes com a nossa própria sociedade. Ao longo do livro, vamos sendo apresentados a conceitos da Sociologia e começamos a questionar nossa genialidade como espécie.

Porque você nem percebe que aprendeu: Suponho que um livro que carrega na contra-capa a frase “durante os poucos segundos necessários para a leitura desta frase nascerão na Terra 40 seres humanos e, sobretudo, 700 milhões de formigas” dispensa qualquer tipo de explicação.

Previsões 2015 de Mark Coker sobre a Indústria Literária
A questão dos gêneros e o Skoob

Comentários:

Loading Facebook Comments ...