Gina Weasley não está impressionada – TRADUÇÃO

Está sendo um mês corrido esse tal de novembro. Dividida entre NaNoWriMo, final de semestre e uma penca de eventos familiares, o tempo anda curto para postar textos inéditos e bem planejados aqui no blog. Mas a gente sempre dá um jeitinho.

Dia desses encontrei um artigo maravilhoso da Sarah Gailey no Tor.com. O post faz parte de uma série, onde a autora analisa e discorre sobre cada uma das personagens femininas de Harry Potter. Este, especificamente, fala sobre Gina Weasley.

Fonte: heidihastings.deviantart.com - Reprodução

Fonte: heidihastings.deviantart.com – Reprodução

A gente já sabe que Minerva McGonagall é uma bruxa incrível. A gente já sabe que Molly Weasley tem mais fibra do que qualquer outra pessoa. Hermione e Luna são amplamente reconhecidas por suas habilidades. Mas…e Gina? Nunca gostei de como a caçula dos Weasley foi subaproveitada nos filmes, servindo apenas como um alívio romântico e como motivação para Harry salvar o dia em HP e a Câmara Secreta. Existe tão mais de Gina Weasley…tanta coisa escrita nas entrelinhas, tanto com o que podemos nos identificar… Porque essa é uma menina muito, muito forte. E humana.

O texto da Sarah Gailey veio como um desabafo que eu adoraria ter feito. Joguei o link na fanpage do TBS e ele causou bastante rebuliço, ainda mais por estarmos em plena euforia com a estreia de Animais Fantásticos e Onde Habitam. Porém, nem todo mundo fica à vontade para ler artigos em inglês (e ninguém tem mesmo essa obrigação). Aí comecei a pensar se não seria interessante divulgar uma versão traduzida.

Então, sem mais delongas e em caráter especial, apresento a vocês uma tradução não-oficial do TBS, reiterando o fato de que não possuo direito autoral algum sobre o conteúdo. Também precisei fazer algumas adaptações para que a cadência e as expressões ficassem mais coerentes em português.

*****

Art by Batcii

Fonte: batcii.deviantart.com – Reprodução

 

Gina Weasley não está impressionada

Seis irmãos. Essa é quantidade de irmãos que se precisa para criar uma Gina Weasley. Esse é o quanto de pressão ‘finalmente-uma-menina’ se requer para criar uma Gina Weasley. Esse é o peso das calças jeans masculinas de segunda mão e dos ‘você-não-pode-fazer-isso-você-é-uma-menina’ necessário para criar uma Gina Weasley.

Gina deixou-se impressionar uma vez. Ela deixou-se impressionar por Harry Potter – o Garoto que Sobreviveu, melhor amigo do irmão mais velho, estrela do quadribol. Ela deixou-se impressionar, e deixou-se estar apaixonada, deixou-se corar e esconder-se. Ela deixou-se ser suave.

E nesses momentos de suavidade – de fraqueza – ela acabou vulnerável. E veja no que isso tudo deu.

Gina Weasley está com raiva. Está com raiva porque ela deixou sua mente se tornar um brinquedo de criança para um sociopata. Está com raiva porque machucou pessoas, e ela não liga de que era apenas uma marionete para Tom Riddle, isso não importa, ela ainda assim machucou pessoas. Ela está com raiva porque ninguém notou. Está com raiva porque todo mundo esquece. Ela está constantemente tendo que lembrá-los de que passou por aquilo: ela falou com ele, ele falou de volta. E quando ele respondeu, não foi apenas um dilúvio sem fim de provocações sobre seus pais ou punhaladas na sua juventude ou ameaças de morte. Harry nunca teve uma conversa com Voldemort, nunca realmente falou com ele.

Gina sim.

Gina é aquela que confiou nele. Aquela que andou com ele em seu bolso. Não Harry. Não o Garoto que Viveu sem Nenhuma Culpa.

Não ele.

Gina goddamn Weasley.

Fonte: Pinterest - Reprodução

Fonte: Pinterest – Reprodução

Ainda assim, com frequência, ela precisa lembrá-los de que aquilo tudo realmente aconteceu. Eles não notaram na época e esquecem agora, e provavelmente vão continuar esquecendo.

Mas ela não vai esquecer.

Gina leva Neville para o Baile de Inverno. Eles compreendem um ao outro – os negligenciados, os esquecidos, os importunados pelas gracinhas. Estão lá pelo alívio cômico. Oh, olhe isso, ela colocou o cotovelo na manteiga. Oh, olhe isso, ele perdeu aquela coisa mais uma vez. Para deixar claro – ok, você pode vir junto, mas só porque você ficou batendo o pé e insistindo, apenas fique fora do caminho.

Gina leva Neville para o Baile de Inverno porque Harry não a convidou a tempo, e ela começa a namorar outra pessoa ao final da noite porque acabou que isso não era algo assim tão ruim. Ninguém mais pode ser o Garoto que Sobreviveu, mas, novamente, existem todos esses outros garotos que não são o Garoto que Sobreviveu. Que não a decepcionaram. Que não olharam para o outro lado, embaraçados, enquanto ela fugia do quarto em lágrimas porque seus irmãos não sabiam a hora de parar de zombar dela.

Talvez essa tenha sido a noite. Talvez tenha sido no Baile de Inverno, quando ela notou Harry sentado lá sendo rude com seu par e agindo como um idiota ranzinza. Talvez tenha sido enquanto ela dançava com Neville, se divertia e flertava com Michael Corner, que começou a perceber que não estava mais impressionada.

Fonte: irenhorrors.deviantart.com - Reprodução

Fonte: irenhorrors.deviantart.com – Reprodução

A vida no Largo Grimmauld é outro exercício de exclusão – A Ordem da Fênix deixando-a de fora das reuniões, Harry e Rony isolando-se, batendo boca. E mesmo com tudo começando a escurecer, Gina continua descobrindo-se não impressionada.

Não importa. Este será o ano dela.

E então ele é. Ela se torna apanhadora da Grifinória, e quando todos parecem surpresos de que a garota saiba voar, ela joga em suas caras: Eu ando voando por anos, nas suas vassouras, e sou melhor nisso do que vocês, tentem acompanhar. Gina ajuda a fundar a Armada de Dumbledore – é ela que escolhe o nome, porra, mesmo que todo mundo tente levar o crédito -, combate a Brigada Inquisitorial e derrota Draco Malfoy, não que seja lá muito difícil derrubar aquela casca molhada de milho que se diz um garoto.

E então, no Ministério da Magia, quem fica cara-a-cara com Bellatrix Lestrange? Quem enfrenta a ameaça de tortura e mantém o queixo erguido? Quem quebra um tornozelo e ainda assim continua tentando lutar?

E depois disso tudo, no trem de volta para casa, quem continua inteira o suficiente pra confortar Harry?

Quem continua carregando o peso de toda a tristeza dele?

Fonte: yethro.deviantart.com - Reprodução

Fonte: yethro.deviantart.com – Reprodução

Todo mundo está tão desesperado para que Gina seja aquela tímida, fugidia garota que costumava ser. Todo mundo está surpreso de que ela não tenha tempo para a condescendência e superproteção deles – todos menos Harry.

Finalmente.

Ele a coloca no time de quadribol porque ela é ótima, e ele confia nela para substituí-lo como apanhador quando o garoto está em detenção mais uma vez. Harry enxerga que Gina não precisa dele, que ela é mais forte e melhor e mais esperta – e finalmente, finalmente, ele se torna bom o suficiente para ela.

Mas aí, claro, ele a desaponta. Todos fazem isso. Todo mundo decepciona Gina, e Harry não poderia ser uma exceção. Ele termina o relacionamento para que possa sair em aventuras enquanto ela está “segura” – não importa o fato de que da última vez em que ele a viu, Gina estava duelando com um Comensal da Morte, segurando as próprias pontas e a dos outros. Não importa que durante sua ausência, ela está agindo como o general da Armada que ele deixou para trás. Harry ainda quer mantê-la envolta em segurança.

Mas quando a hora chega, quando mais importa – quando a batalha está em fúria e ela está presa na Sala Precisa – ele a deixa sair.  E aí vai ela – lutando, sem tempo a perder. Ela saca a varinha e está derrubando Bellatrix Lestrange, a última pessoa que ousou fazê-la sentir-se pequena e assustada. Ela vê o cadáver de Harry, e não importa, porque existe uma batalha para lutar. Ela vê Fred morrer – mas ela precisa continuar, droga.

Não há tempo para lamentos.

Ela tem uma guerra para vencer.

Fonte: aloira.deviantart.com - Reprodução

Fonte: aloira.deviantart.com – Reprodução

Gina acaba casando com Harry Potter, eventualmente, porque ela quer – não porque o garoto a conquistou, não porque ela é o prêmio que lhe foi entregue após Voldemort estar morto, mas porque ela decidiu que ele é adequado. Gina é a única mulher no mundo que pode olhá-lo na cara e dizer verdadeiramente que não está nem um pouquinho impressionada, mas que o ama mesmo assim.

Ela se casa com Harry, e leva o seu sobrenome, mas ambos sabem que ela nunca será a Sra. Potter, Esposa do Garoto que Sobreviveu, qual o nome dela mesmo? Não ela.

Gina começou no fundo de uma pilha de expectativas, dormindo entre lençóis que já estiveram em seis camas antes da dela, a sétima filha, a única menina em uma casa de garotos. Ela deixou um monstro entrar em seu coração e olhou nos olhos de um assassino, lutou pela própria vida e ganhou.

Ela nunca será uma nota de rodapé.

Ela é Ginevra Molly goddamn Weasley, e não está nada impressionada.

Fonte: alicexz.deviantart.com - Reprodução

Fonte: alicexz.deviantart.com – Reprodução

 

Sobre por que as bruxas de Terry Pratchett são tão incríveis
NaNoWriMo: um relato honesto sobre o mês mais louco do ano

Comentários:

Loading Facebook Comments ...