O sucesso do livro interativo

Está cada vez mais comum ver algum adulto por aí, de olhos brilhantes, carregando uma caixinha de lápis de cor e colorindo desenhos. Esse novo boom de livros interativos parece estar vindo com tudo, e parece que seu foco realmente não é o mundo infantil.

A cara dessa revolução é a autora escocesa Johanna Basford, autora dos livros “Jardim Secreto” e “Floresta Encantada”. Sua obra consiste de páginas e mais páginas de desenhos intrincados em preto e branco, perfeitos para serem coloridos e se tornarem quadros dignos de mostrar pra família.

Capas de Jardim Secreto e Floresta Encantada, em inglês. Fonte: Amazon - Reprodução

Capas de Jardim Secreto e Floresta Encantada, em inglês. Fonte: Amazon – Reprodução

Os livros estão vendendo como água, não só na Europa como aqui no Brasil. Em entrevista para a revista Época, o representante da editora Michael O’Mara explica que o mercado resolveu investir no filão ao perceber a quantidade de pais que se envolviam com as atividades de colorir dos filhos, muitas vezes se divertindo até mais que as crianças. Algumas alterações foram feitas, claro, para garantir uma boa recepção do público mais crescidinho: as ilustrações simples deram lugar a padrões mais complexos, com temática definida e detalhes escondidos em cada desenho. Também foram adicionados conceitos como “anti-estresse” e “terapia” às capas dos livros. Afinal, caso aquele amigo chato te pegue pintando abelhinhas no trabalho, você pode dizer que são apenas recomendações médicas.

O que não deixa de ser verdade. Pintar é uma terapia recomendadíssima por profissionais de saúde, com muitos benefícios, principalmente para idosos e pessoas que sofreram algum pico de estresse. Colorir acalma. Nos dá espaço para deixar a imaginação fluir e reorganizar nossos pensamentos ao mesmo tempo em que colocamos no papel nossos sentimentos subconscientes. Sabe quando você vê o desenho de alguém e sente que aquela pessoa estava triste quando o criou?

Parece que os adultos estão finalmente largando sua postura sisuda e voltando a abraçar o lúdico (e saudável) mundo da infância. Talvez isso seja um reflexo da rotina estressante a que estamos submetidos. O mundo moderno obriga o adulto a manter sempre uma atitude séria. Quem nunca ouviu que está muito velho para fazer determinada coisa, mesmo que essa coisa seja extremamente divertida? Mas talvez tenhamos alcançado um limite.

Livros interativos sempre estiveram por aqui. Aliás, qualquer livro é interativo, já que, ao pé da letra, permite interação através da leitura. Mas estamos falando daquelas obras onde o leitor é voz ativa, onde a experiência extrapola as letras. Pode ser através de atividades sensoriais, como a pintura, por meio de jogos de pistas ou até permitindo que o leitor interfira no enredo.

Duvido encontrar um adulto que ainda não se divirta quando vê um exemplar de “Onde Está Wally?”. Inclusive, em 2011, 3.872 pessoas se fantasiaram como o personagem, em Dublin. Todas já bem grandinhas, como podemos ver na foto.

Fonte:http://molhoingles.com/onde-esta-wally-25-anos/ - Reprodução

Fonte:http://molhoingles.com/onde-esta-wally-25-anos/ – Reprodução

Também sempre tivemos os livros de RPG e os livros infantis. A Editora Ática possui uma coleção querida por muitos, a “Salve-se Quem Puder”, voltada ao público infanto-juvenil. Nos livros de aventura, cada página continha pistas e mistérios que precisavam ser solucionados pelo leitor antes de passar ao próximo capítulo.

Alguns títulos da coleção. Fonte: Extra - Reprodução

Alguns títulos da coleção. Fonte: Extra – Reprodução

O diferencial é que, apesar de sempre presentes nas livrarias, os livros interativos nunca foram vistos sob uma perspectiva adulta. RPG era coisa de jovens. “Onde Está Wally?” era o livro que você gostava, mas que dava de presente pro sobrinho. Nunca era um livro pertencente a uma pessoa adulta, com família formada e contas pra pagar.

Agora, além de Johanna Basford, muitos estão trilhando esse novo caminho. A série “Destrua Este Diário” é um dos fenômenos de vendas, permitindo aos adultos fazerem apenas coisas que… que eles são proibidos de fazer todos os dias, como furar, lamber e amassar páginas.

Fonte: http://sobresagas.com/destrua-este-diario-parte-1/ - Reprodução

Fonte: http://sobresagas.com/destrua-este-diario-parte-1/ – Reprodução

Recentemente, tivemos o lançamento da aguardada biografia de Neil Patrick Harris, estrela do seriado How I Met Your Mother. Logo na capa, o slogan “autobiografia interativa” chama atenção. Nele, é possível escolher que caminho Neil deve seguir, e cada decisão do leitor leva a um capítulo diferente, onde é contada parte da história do ator. Assim, não existe uma ordem cronológica fixa para ler o livro. Essa é uma ideia genial, se considerarmos o número de pessoas que não gostam de ler biografias por achá-las enfadonhas.

Mas a ideia não é nova. Em 1993 era lançado “O Grande Segredo”. A história coloca o leitor como personagem principal, narrada em POV. Ao final de cada episódio, é preciso tomar uma decisão sobre o que fazer a seguir (ir pela estrada da direita ou da esquerda, ajudar ou não ajudar alguém necessitado…). Cada escolha leva a capítulos diferentes. Desse modo, o livro possui vários finais possíveis, sendo preciso ler mais de uma vez para de fato ter visto todas as páginas. Uma importante lição para o público juvenil sobre como decisões podem mesmo impactar o futuro.

Capas da biografia de Neil e O Grande Segredo. Fonte: Skoob - Reprodução

Capas da biografia de Neil e O Grande Segredo. Fonte: Skoob – Reprodução

Por fim, o livro interativo finalmente conquistou seu lugar e deixou a ala infantil, virando um produto para toda a família. Afinal, de vez em quando, tudo o que precisamos é de uma válvula de escape. Continuem brincando, crianças. Sempre.

Johanna e seus desenhos. Fonte: http://www.oversodoinverso.com.br/livro-de-colorir-para-adultos/ - Reprodução

Johanna e seus desenhos. Fonte: http://www.oversodoinverso.com.br/livro-de-colorir-para-adultos/ – Reprodução

Aviso: Projeto Histórias
A questão Susana Pevensie

Comentários:

Loading Facebook Comments ...