Previsões 2015 de Mark Coker sobre a Indústria Literária

Tudo começou quando Mark Coker e sua esposa resolveram escrever um livro. Após um ano de trabalho duro, a obra “Boob Tube” estava pronta para ser publicada. No entanto, apesar de receberem elogios, o casal obteve uma longa série de negativas por parte das editoras. O problema, segundo elas, estava no fato de o casal ser completamente desconhecido, e que por isso não seria possível prever a rentabilidade da obra. Quem iria comprar um livro de alguém que nunca ouviu falar?

Mark Coker. Fonte: http://www.forbes.com/sites/jjcolao/2012/06/07/apples-biggest-unknown-supplier-of-e-books/

Mark Coker. Fonte: http://www.forbes.com/sites/jjcolao/2012/06/07/apples-biggest-unknown-supplier-of-e-books/

Frustrado com sua experiência, Coker começou a trabalhar, em 2005, numa ideia inovadora. Queria retirar o estigma associado às publicações independentes. A maioria dos autores enxergava os ebooks feitos sem o auxílio de uma editora tradicional como uma alternativa para “escritores que não deram certo”. Mas Coker enxergou nesse cenário uma grande janela de oportunidade. Assim, em 2008, era lançada oficialmente a Smashwords, uma plataforma que publica e distribui ebooks de autores independentes.

A empresa funciona de maneira simples, porém revolucionária. Os autores enviam suas publicações em formato de texto (num Word da vida) e a Smashwords se encarrega de transformar o livro em ebook, nos principais tipos de arquivos suportados pelo mercado. Depois disso, a empresa distribui as obras para livrarias digitais parceiras, como Apple, Sony e Kobo.

O preço do livro fica a cargo do autor. Ao contrário das editoras tradicionais, a Smashwords permite que o escritor receba grande parte dos lucros na venda de seus ebooks. Como consequência, temos livros muito mais baratos. Grande parte do acervo da Smashwords não ultrapassa os 5 dólares.

A Smashwords se tornou a maior empresa do ramo, e Mark Coker é quase um guru para o chamado grupo dos “autores indie”, que publicam de forma independente. Em uma entrevista dada à Forbes (leia o texto integral aqui, vale a pena), Coker explica que “o mérito comercial é uma forma perigosa de julgar um livro. Significa que você terá mais coisas escritas pelas irmãs Kardashian do que por escritores desconhecidos que estarão potencialmente escrevendo os clássicos do futuro”.

Mas vamos ao que interessa:

Todo ano, Mark Coker publica suas previsões para o mercado literário, sob a perspectiva dos autores independentes. Em 2015 foram ao todo 12 previsões, que podem ser encontradas originalmente, em inglês, aqui. A seguir, está uma livre tradução sobre as previsões feitas por ele e uma breve explicação sobre o significado que Coker atribui a cada uma delas.

1 – Mais autores vão aspirar a publicar de maneira independente.

Com o fim do estigma de que publicar livros independentes é coisa de autor falido, cada vez mais escritores vão entrar pro ramo. Coker ainda explica que muitos autores tradicionais estão transitando para a publicação online. Além disso, veremos mais autores “híbridos”, que utilizam as duas formas de divulgação.

2 – Autores independentes vão capturar uma fatia maior do mercado de ebooks.

Esse fenômeno terá como causas o crescimento do número de publicações indies disponíveis no mercado e o aumento do número de autores utilizando boas práticas ao publicar, gerando conteúdo de qualidade e alto profissionalismo.

3 – A leitura por meios digitais vai crescer, mas num ritmo mais lento.

Mark explica que, na maioria dos países desenvolvidos, aqueles que poderiam adotar a leitura por meios digitais já fez isso. O “boom” de dispositivos como Kindle e Kobo já passou. No entanto, o mercado continuará a crescer graças aos países menos desenvolvidos, impulsionados pela popularização dos smartphones.

4 – 2015 será de lento crescimento para os autores, independentes ou tradicionais.

Estamos chegando a um equilíbrio entre publicações indies e tradicionais, com autores tradicionais publicando ebooks e indies que continuarão nas publicações impressas. Além disso, os escritores precisarão competir pelo tempo do leitor com alternativas não-literárias de baixo custo: são as redes sociais, sites de vídeos e videogames.

5 – Autores independentes vão enfrentar o crescimento da competitividade contra autores tradicionais.

Há um tempo atrás, as grandes editoras tendiam a manter altos os preços de seus ebooks, apenas um pouco mais baratos que a versão em papel. Isso permitia que os autores indies dominassem toda a fatia do mercado das obras vendidas a menos de 5 dólares. No entanto, com o crescimento das vendas entre os indies, tornou-se comum que editoras promovam eventos onde oferecem autores renomados a preços promocionais. Esses eventos estão se tornando tão frequentes que  podemos esperar uma queda definitiva no preço dos livros, e, por consequência, um maior embate entre escritores tradicionais e independentes.

6 – Grandes editoras intensificarão a distribuição gratuita.

Inspiradas pelo mercado independente, as editoras usarão este recurso para atrair popularidade e lançar novos autores. O iBook já realiza ações onde o “O Primeiro da Série é de Graça”, e as editoras acabarão seguindo essa tendência para fidelizar clientes.

7 – “De graça” vai perder um pouco do charme.

Complementando a previsão anterior, com o aumento no número de publicações oferecidas gratuitamente, o recurso não será mais tão efetivo para os autores, que verão menos downloads de seus livros. Afinal, o usuário terá todo um acervo para escolher. Apesar disso, ainda será uma das melhores formas de atrair leitores.

8 – Muitos independentes vão desistir em 2015.

Desencorajados pela competição e pelo lento ritmo de vendas, muitos escritores independentes vão desistir da área ou, pelo menos, diminuir seu ritmo de produção literária. Mark também explica que todo mercado é cíclico, e embora as desistências possam ser vistas como algo ruim e doloroso para os autores, é um padrão saudável a longo prazo, especialmente para os escritores que se mantiverem firmes.

9 – Gerência de tempo separará os vencedores dos perdedores.

Os autores mais bem sucedidos serão aqueles que investirem em serviços profissionais para atingir as prateleiras. Seja contratando uma empresa para diagramar o ebook ou participando de uma editora independente como a Smashwords. Vale mais a pena ceder parte dos lucros para que uma empresa distribua sua obra do que enviá-los diretamente às livrarias.

10 – Amazon vai usar o Kindle Unlimited para pagar menos aos autores.

O Kindle Unlimited permite que o usuário leia quantos ebooks desejar pagando apenas uma mensalidade. Dessa forma, desencoraja o leitor a comprar ebooks individualmente.

Os autores são pagos através de um montante compartilhado com outros escritores, proporcionalmente ao número de downloads obtidos. Segundo Coker, em alguns casos essa estratégia pode diminuir até pela metade o lucro obtido.

No entanto, grande parte dos livros disponíveis no Kindle Unlimited são de autores independentes. Sem eles, a Amazon não conseguiria sustentar o programa.

11 – Novas leis europeias vão colocar um amortecedor sobre as vendas de ebooks na Europa.

Novas leis sobre impostos na União Europeia gerarão maiores tributações sobre os ebooks adquiridos naquela região. Os autores terão de aumentar o preço de seus livros (o que pode afastar clientes) ou então receber o impacto das taxas em seu próprio lucro (o que seria igualmente ruim).

12 – De volta ao básico: os melhores autores de 2015 vão ganhar através de boas práticas.

Sucesso está estritamente ligado às boas práticas. A cada nova prática implementada, o autor ganhará vantagem dentro do mercado. É preciso lembrar que o sucesso, principalmente para quem quer publicar de maneira independente, vem atrelado ao trabalho duro.

 

Você ainda pode ler o Manifesto do Autor Indie, disponível aqui.

*As previsões e explicações fornecidas neste texto são de autoria de Mark Coker, constando aqui apenas uma livre tradução/adaptação.

Literatura Gourmet?
7 livros que valem por uma aula

Comentários:

Loading Facebook Comments ...