Darcy que me perdoe, mas por Thornton até Elizabeth levaria uma pedrada

O texto a seguir pode conter spoilers de: Norte e Sul, Orgulho e Preconceito. Depois não diga que eu não te avisei…

Fonte: Martin Claret e moviewatchersguide.wordpress.com

Fonte: Martin Claret e moviewatchersguide.wordpress.com

A frase título deste post é uma adaptação a uma frase que li de uma fã de Norte e Sul. Nunca pensei, em minha vidinha de leitora compulsiva, que algum livro fosse capaz de desbancar Orgulho e Preconceito dentro do meu ranking de melhores romances de todos os tempos. Mas isso foi antes de eu ler Norte e Sul.

Resolvi apostar nesse livro desde que a Martin Claret lançou uma versão capa dura de cair o queixo, em 2015, e também influenciada pela penca de comentários positivos que sempre escutei dentre as amantes de romances vitorianos.

Chega a ser impressionante o quanto um livro publicado em 1854 pode evocar tanta paixão por seus personagens, e também tantos debates pertinentes sobre a situação do capital e do proletariado. Parece que Gaskell, assim como Austen, descobriu uma forma atemporal de contar histórias. Não importa se vivemos no século XIX ou na era da internet, Norte e Sul ainda será um diálogo atual. E Mr. Thornton ainda será o mocinho dos seus sonhos.

Leia Mais