A Longa, Maravilhosa, Estupenda e Inebriante Viagem a um Pequeno Planeta Hostil (+SORTEIO)

Veio pelo sorteio? Ele está logo ao fim deste post. Mas dá uma lidinha na resenha, vai… ;)

Farei o possível – Lázaro deseje-me forças – para manter esta resenha livre de grandes spoilers. Não que eu me importe com eles (o TBS nasceu como um blog para debater a fundo o enredo dos livros) mas porque preciso ter a certeza de atingir o máximo possível de pessoas: eu quero te convencer a ler A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil. 

Este livro é necessário. Nós precisamos dessa leitura, ainda que você não saiba disso. Bem, eu precisei. 

Fonte: DarkSide – Reprodução

O livro de estreia de Becky Chambers, originalmente publicado em 2014 através de financiamento coletivo, está até hoje fazendo barulho. Virou série (ainda que cada volume funcione bem como uma história única), ganhou prêmios e, finalmente, veio parar no Brasil pelas mãos da DarkSide. 

Leia Mais


TBS entrevista: Gail Carriger

Quando li pela primeira vez sobre O Protetorado da Sombrinha no blog da Coruja, sabia que havia encontrado uma mina de ouro. Se não me falha a memória, comprei o primeiro livro da série logo depois numa promoção da Amazon, devorando cada uma das páginas em menos de 24h. De lá pra cá, minha fascinação por Gail Carriger só aumenta.

Fonte: Robert Andruszko – Reprodução

Afinal, como não se surpreender com alguém que é formada em Arqueologia e escreve romances góticos com pitadas de steampunk, humor, investigação policial e erotismo sobrenatural? Aliás, vocês já pararam para apreciar o guarda-roupa da Gail Carriger?

Leia Mais


Mirta Vento Amarelo: fantasia nacional a todo vapor

Quando vi pela primeira vez o André Regal divulgando seu livro no Facebook, sabia que vinha coisa boa. André é uma pessoa que eu acompanho faz tempo, desde os primórdios do TBS. Aliás, se você já se aventurou pelas comunidades de autores iniciantes no Wattpad, é provável que esse nome não lhe seja estranho. Entre debates, algumas participações especiais em podcasts e todos os prêmios Wattys que nunca ganhamos, vira e mexe acabamos por nos esbarrar pelo mundão da internet.

Fonte: Acervo do autor – Reprodução

Lembro de ter lido os três primeiros capítulos de uma de suas obras disponibilizadas online, “A Lágrima de Giius”, e ter me surpreendido com a narrativa madura e envolvente que encontrei. André escrevia pra gente adulta, escrevia sem pudor.  

A grande ironia? Mirta Vento Amarelo, seu romance de estreia no mercado tradicional, é voltado ao público juvenil.

Quando André me convidou para opinar sobre Mirta, aceitei com bastante curiosidade: como ele iria se sair? Como aquele cara, que se bem me recordo falava sobre tripas e malfeitores, se viraria diante de um público mais jovem? Afinal, se o romance havia sido finalista do prêmio Cesgranrio, era sinal de que ele havia achado um jeito.

Leia Mais


Quis desistir no prefácio, mas Malazan é mesmo tudo isso que prometem

O texto a seguir não contém spoilers propriamente ditos. Mas tá cheio de referências a nomes de personagens, lugares e situações. Se você não se sentir mal com isso, pode seguir sem problema algum. Se não, vai ler Jardins da Lua e volta aqui pra gente conversar! :)

Fonte: Reddit – Reprodução

Hype. Muito hype. Uma expectativa enorme cercava a publicação de Jardins da Lua no Brasil. E, apesar de acompanhar ativamente as acaloradas e passionais discussões que rolavam sobre o livro nos grupos de leitores de fantasia, eu não me sentia assim tão tentada a lê-lo.

Acho que a aura criada em torno da obra, alimentada pelos fãs mais antigos e pela própria editora, funcionou como duas faces de uma mesma moeda (captaram essa?). Veja bem, Malazan é vendida como uma série difícil. Uma série que exige atenção e comprometimento. E é também vendida como uma das maravilhas da ficção fantástica.

Leia Mais